← Voltar

INOVAÇÃO

Conexão Futuro Seguro Brasil encerra ciclo de palestras virtuais e anuncia volta do evento em 2021

Imprimir
Compartilhar no Telegram

A Fenacor, ENS e Sincors encerraram nesta quinta, 12, o ciclo de eventos virtuais  Conexão Futuro Seguro  com a etapa nacional Conexão Futuro Brasil, realizada das 17h às 20h. O ciclo, que contou com 22 encontros estaduais, levou conhecimento, capacitação e novas oportunidades de negócios a milhares de corretores de seguros de todo o país.

“Nós não podemos prever o futuro, mas podemos criá-lo”, destacou o presidente da Fenacor, Armando Vergilio, ao dar início à série de palestras que se seguiram abordando temas diversos, mas interligados, sobre o mercado de seguros, como relações humanas, LPGD e autorregulação, entre outros assuntos de grande interesse para a categoria.

A atriz Denise Fraga iniciou o encontro on-line ressaltando a importância da gentileza nas relações humanas, sejam elas pessoais ou de negócios. “Além da revolução tecnológica, devemos nos atentar para outra revolução, a do afeto, a revolução do acolhimento, da escuta, que é algo que o corretor de seguros faz cotidianamente no seu trabalho. Precisamos sobretudo ouvir o que não é falado e nos dedicar ao exercício da gentileza e da empatia”, apontou a palestrante.

O Futuro do Corretor é Agora, a segunda palestra desta etapa final, foi ministrada pelo presidente do Conselho de Administração da MAG, Nilton Molina. “Em qualquer negócio, o empresário tem um capital; o corretor de seguros tem o cliente. Para atendê-lo, o corretor de hoje e do futuro não pode mais ser especializado em um produto, mas sim em pessoas que precisam de proteção para a sua saúde, para a sua empresa, o seu patrimônio, seus investimentos”, destacou. “É indispensável compreender que quem está no comando das decisões é o consumidor “, acrescentou Molina.

A lacuna em educação financeira do brasileiro é um espaço que pode se traduzir em oportunidade de negócios para o corretor de seguros, destacou Hildebrando Neres, professor da ENS, corretor de seguros e agente autônomo de investimentos. “Com a queda drástica nos rendimentos de renda fixa, os investidores brasileiros vão precisar diversificar seus investimentos, algo que não é fácil”, explica o professor.

“É aí que entra em cena o agente autônomo de investimentos, um nicho que o corretor de seguros pode adentrar, desde que se qualifique, pois são duas profissões sinérgicas”, afirmou. A ENS oferece o curso de agente autônomo de investimentos.

Em seguida, Aluízio Barbosa, advogado e também professor da ENS, falou sobre a LGPD e suas implicações para o corretor de seguros e as corretoras. “A nova legislação se aplica a qualquer pessoa , física ou jurídica, que lide com dados pessoais de terceiros. Portanto, o corretor, seja ele autônomo ou uma corretora com 500 funcionários, está sujeito à LGPD, que veio para ficar e vai exigir adaptações em diversos segmentos da economia”, alertou.

Paulo Moura, diretor da Quinto Domínio, empresa que desenvolveu a plataforma LGPDCOR em parceria com a Fenacor, apontou em sua apresentação os dez passos necessários para o corretor de seguros se adequar à LGPD. “A Fenacor foi pioneira, desenvolvendo uma cartilha para os corretores de seguros e, em seguida, criando conosco uma plataforma para atender aos corretores em todos os aspectos relacionados à nova legislação”, ressaltou o especialista.

Coordenador da Certisign, Lafaiete Dias de Lima, falou a seguir sobre o crescimento do mercado de certificação digital, no qual é pioneira e líder do segmento, com a emissão de mais de 10 milhões de certificados digitais desde sua criação, em 1996. “Independentemente das crises, o crescimento tem sido de pelo menos dois dígitos por ano. Em relação a 2019 a projeção de crescimento é de 10%”, contabilizou o empresário.

Maturidade
A autorregulação foi o tema abordado pelo presidente do Ibracor, Joaquim Mendanha, e o professor de Direito e ex-diretor do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor, Ricardo Morishita Wada. “A autorregulação exige muita maturidade. Somente um setor maduro o suficiente pode se autorregula”, esclareceu o professor.

“O Ibracor, com mais de 20 mil associados e como única autorreguladora autorizada pela Susep, está implantando uma série de novidades”, disse Joaquim Mendanha, ex-presidente do SINCOR-GO e ex-superintendente da Susep, ao encerrar a série de palestras do Conexão Futuro Seguro.

Encerramento
Ao concluir o ciclo de palestras do projeto Conexão Futuro Seguro, o presidente da Fenacor agradeceu a parceria com todos os Sincors e com a ENS para concretizar o projeto, num formato completamente novo, totalmente on-line. “Trouxemos um time de palestrantes diversificado e excelente, oferecendo capacitação e apresentando novas formas de negócios para o corretor de seguros. O Conexão é um evento democrático, inclusivo, informativo”, ressaltou Armando Vergilio. O presidente da Federação anunciou ainda a realização do 2º Ciclo do Conexão Futuro Seguro 2021.

Ele lembrou que todos os inscritos vão receber certificado de participação e anunciou que aqueles que acompanharam as palestras vão ter direito ao curso gratuito de agente autônomo de investimentos da ENS.

Em seguida, foi sorteado um carro zero quilômetro aos corretores conectados no momento da premiação. A vencedora foi Gisela Naves, de Uberlândia. Também foi sorteado um Iphone e a ganhadora é de Goiânia: corretora de seguros Júnia Naves de Almeida.

Fonte: Assessoria de Comunicação do SINCOR-GO | Ampli Comunicação