← Voltar

CARREIRA

Desdobramentos da Resolução 382 são abordados em live

Imprimir
Compartilhar no Telegram

licitacao

Nesta quarta-feira, dia 29/07, aconteceu a 18ª edição do programa “Direto e Reto com Camillo”. O  presidente do Sincor-SP, Alexandre Camillo, abordou sobre o Desdobramentos da Resolução 382 e novas ações do Sincor-SP.

Camillo destacou sobre a fragilidade do sistema de recadastramento que está previsto para acabar dia 31 de julho. “Todos nós para termos a habilitação mantida temos que fazer o recadastramento. O fato é que diferente do que alguns pensam, o recadastramento não está essa maravilha,  o sistema é instável e permite fraude”, alertou.

O presidente do Sincor-SP também revelou que os Corretores estão engajados em cumprir o compromisso. “Quero ressaltar que o corretor cumpriu e vem cumprindo com essa resolução nesse momento inoportuno porque é responsável e comprometido com seus clientes mostrando sua maturidade profissional”, ressaltou.

Em relação a liminar da Fenacor sobre a resolução 382, Camillo destacou a importância do trabalho realizado. “Nós aguardamos o momento apropriado com pedido de liminar e dia 1 conseguimos a liminar suspendendo os artigos que impõem a categoria a exposição da remuneração do corretor e a figura do cliente oculto. Tivemos êxito. A categoria teve grande alívio nesse momento. Estamos em meio a um debate jurídico uma vez que o diálogo não foi possível”, esclareceu.

Camillo lembrou que o sistema de distribuição de seguros no Brasil foi consolidado pelo corretor de seguros e assim deve continuar. “O corretor com sua capilaridade e capacidade e comprometimento junto ao cliente traz uma distribuição incomparável. Isso está comprovado no meio da pandemia. Os números do setor mostram isso”, enfatizou.

Evento e campanha

Alexandre Camillo avisou que em setembro “ou começo de outubro” deve acontecer o Sincor Digital. “Será um dia inteiro de palestras. Um evento que queremos contar com a participação  de milhares de corretores de seguros de todo o Brasil. Por isso, quero garantir que o conteúdo seja imperdível”, assegurou. Ele explicou que se optou por esse evento para marcar o Conec que deveria acontecer esse ano.

Outro assunto abordado foi a campanha de associativismo ao Sincor-SP. Camillo foi enfático ao afirmar a importância do corretor de seguros valorizar e se associar à sua entidade de classe. “Diante de tudo que temos visto, nenhum de nós poderia imaginar que nossa profissão poderia ser desregulamentada. Se chegamos ao ponto de isso acontecer o que pode acontecer daqui pra frente?”, questionou.

Ele citou a livre atuação de associações de proteção patrimonial  e da Onsurance. “Se diante disso tudo não chegamos a um nível de entendimento que precisamos dar as mãos pra fazer entendimento a tudo isso; o que resta acontecer para termos esse entendimento?”, questionou.

Camillo ainda citou o trabalho feito pela Fenacor e Sincor’s de todo o Brasil na defesa dos interesses dos corretores. “Se 25% custeando podemos defender toda a categoria, imagine com 50% ou 100% da categoria? Já pararam para pensar nisso? Esqueça a simpatia por mim ou outro presidente. A gente passa, a entidade não”, ressaltou.”

Ele afirmou ser filiado ao Sincor-SP há 30 anos e desafiou os que não são associados: “Não quer ser sócio, abra mão do simples já que as entidades não fazem nada. Abra mãos dos benefícios da nossa vitória contra a resolução 382 e deixe apenas para os 25% da categoria que contribuem. Pensem nos efeitos que teríamos se 50% fizesse parte das entidades”, destacou. E enfatizou: “Me ajude a te ajudar!”.

Camillo explicou que a campanha associativista quer trazer instrumentos para facilitar e ajudar corretores a serem sócios da entidade. Ele disse que a campanha está baseada em três pilares: Ideológico. “Você tem que fazer parte porque a entidade te beneficia. Maturidade profissional não falta ao corretor. Nosso sindicato é patronal, de empresários, corretores autônomos. É um sindicato de gente que faz”, destacou.

Outro ponto é a questão inclusiva. “Estamos fazendo uma campanha inclusiva. Quanto mais sócios, menos se paga. Quanto mais aumentar o percentual de sócios, menos pagarão. Conforme atingirmos um nível, o valor decresce”, ressaltou.

E ainda, o plano de benefícios oferecido pelo Sincor-SP. “Os plantões técnicos das comissões, o Disque Sincor, Sesc, assinatura do jornal “O Estado de S. Paulo” gratuita, o Credicor, a Câmara Sin e outros benefícios que impactam o dia a dia do corretor e quando você paga a anuidade caem por terra. Ainda terá a nova campanha de previdência privada, o novo plano de assistência médica envolvendo várias operadoras para atender o corretor de seguros em todo o estado de São Paulo”, detalhou.

O dirigente chamou a atenção dos corretores que a entidade é patronal e necessária. “Vamos ter bom senso. Você acha que na Fiesp ou na Febraban tem bobinho? Os grandes bancos não são sócios? Eles abrem mão de estarem representados? Por que nós não vamos ser sócios da nossa representação institucional?”, questionou.

Fonte: CQCS