← Voltar

COMUNICADO

Nota de esclarecimento da FENACOR

Imprimir
Compartilhar no Telegram

fenacorA Fenacor repudia e refuta veementemente a matéria “Centrão reivindica Susep de olho no dinheiro do DPVAT”, publicada na edição online de sexta-feira (22 de maio) da Folha de São Paulo.

Com esse título capcioso, o teor da matéria embaralha e requenta assuntos distintos, alguns que remontam ao ano de 2004, e faz uma proposital e maliciosa mistura de temas que parece visar apenas a confundir a opinião pública e colocar uma cortina de fumaça sobre os desmandos que vêm ocorrendo na SUSEP sob o comando de Solange Paiva Vieira.

A autarquia, sem sombra de dúvidas, vive o pior momento da sua história, com decisões precipitadas e açodadas e a grande confusão de circulares e normativos que têm gerado, sistematicamente, enorme risco, insegurança e intranquilidade no mercado. PROVA DISSO É QUE PELA PRIMEIRA VEZ EM 54 ANOS, OU SEJA, DESDE A CRIAÇÃO DA SUSEP, AS DUAS PRINCIPAIS ENTIDADES QUE REPRESENTAM O MERCADO DE SEGUROS – A FENACOR E A CNSEG/FENASEG– RECORRERAM À JUSTIÇA CONTRA MEDIDAS DA AUTARQUIA E DO ÓRGÃO REGULADOR QUE AFRONTAM A LEGALIDADE.

Internamente, parece que o clima é de medo e de insegurança. Servidores são constantemente surpreendidos com mandos e desmandos da superintendente, que afirma, ditatorialmente, para quem quiser ouvir, que a sua gestão é na base da tentativa e erro e que não hesitará em mandar desfazer o que mandou fazer, se assim bem entender.

São atitudes típicas daqueles que por não saberem ou dominarem tecnicamente o que fazem, chutam e atiram para todo lado apenas para mostrarem sua presença e o seu poder.

A matéria, entretanto, acerta ao menos em um ponto, ao trazer à tona a insegurança e as incertezas que vive o setor de seguros brasileiro neste momento.

Os corretores de seguros são seu principal alvo e vítimas do seu ódio (bem encomendado) e dos seus desmandos.

É verdade que, durante a vigência da MP nº 905/19, onde ela tentou simplesmente dizimar com a categoria, a autarquia, através da CARTA CIRCULAR ELETRÔNICA nº 3/2019/SUSEP, de 14 de novembro de 2019, assinada pela Sra. Solange, autorizou expressamente o Ibracor a cadastrar os corretores de seguros e, com a queda da medida provisória, a SUSEP por mera vingança, não reconheceu os registros feitos sob a égide da sua própria orientação, obrigando os já cadastrados a repetirem o procedimento.

Não satisfeita em inexplicavelmente desestruturar a vida dos novos corretores, a superintendente da Susep determinou o recadastramento de todos os profissionais do setor, sujeitando-os às limitações, falhas e fragilidades do novo sistema implantado.

Tudo isso em meio à grave pandemia, a maior crise na saúde pública em 100 anos, que assola o nosso país e todo o planeta.

Não é verdade que o presidente desta Federação tenha solicitado qualquer cargo neste governo a quem quer que seja e muito menos o da superintendente da Susep. Também não é verdadeira e não temos conhecimento da existência de inquéritos, investigações ou procedimentos na Polícia Federal.

É importante deixar claro que sempre apoiamos e não temos nenhuma dificuldade em colaborarmos com investigações de qualquer natureza.

Mas, enfatizamos mais uma vez: não existe qualquer inquérito ou investigação sobre atos ou ações desta Federação. Porém, uma pergunta que precisa ser feita é a quem interessa esse tipo de matéria neste momento? Seria aos servidores ligados ao SindSusep ou à própria superintendente, para desviar a atenção e, assim, para que não venham à tona os enormes prejuízos ao mercado de seguros e à sociedade que a gestão de Solange Paiva Vieira tem gerado?

Sempre estaremos à disposição para melhor servir a sociedade, aos consumidores de seguros e auxiliarmos na elucidação de todo e qualquer assunto relativo ao setor. Em especial, aos corretores de seguros, categoria a quem a sociedade confia seus sonhos e conquistas e que, no meio dessa pandemia, tem atendido, assistido, amparado e assessorado diuturnamente aos consumidores/segurados. Literalmente, são aqueles anjos da guarda que vêm segurando a onda e a barra do setor. Mas, que também injustamente, vêm sofrendo insidiosa perseguição com os desmandos da atual gestão da Susep neste momento tão grave, delicado e duro para todos nós Brasileiros.

Fonte: Fenacor