← Voltar

TRÂNSITO

Celular ao volante: indenização pode ser negada

Imprimir
Compartilhar no Telegram

motorista-ao-celularCelular e direção causam problemas que vão além dos prejuízos e da exposição ao perigo. Se for comprovado que o motorista estava usando celular na hora de um acidente, ele pode perder o direito à indenização da seguradora.  Segundo o Detran-GO, de 1° de janeiro até 31 de agosto de 2018, foram registradas 23.273 autuações pelo Art. 252 VI do CTB em Goiás. No mesmo período, em Goiânia, foram 11.336 autuações por uso de celular ao volante.

A Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet) tem dados alarmantes. De acordo com a instituição, o uso do celular na direção está em terceiro lugar entre as causas de mortes decorrentes do trânsito no país.

Por isso, as seguradoras podem utilizar essa informação como agravamento de risco. Elas podem considerar que o motorista aumentou, intencionalmente, o risco de acidente ao dirigir e falar ou manusear o celular ao mesmo tempo.

Falar ou manusear um aparelho celular enquanto dirige, uma prática aparentemente banal, é uma atitude que faz 150 vítimas fatais por dia e 54 mil por ano. Segundo a associação, o uso de celular aumenta em 400% o risco de sofrer um acidente de trânsito.

Fonte: Assessoria de Comunicação do SINCOR-GO | Ampli Comunicação com edição do CQCS