← Voltar

CARREIRA

Paulista Marcos Casuo fala a corretores sobre riscos necessários na carreira

Imprimir
Compartilhar no Telegram
Marcos Casuo durante palestra no Conec

Marcos Casuo durante palestra no Conec

Palestrante abordou sua experiência pessoal para falar sobre superação em painel do Conec

Do picadeiro para os negócios. O paulista Marcos Casuo mostrou aos corretores de seguros que criar e arriscar podem transformar ambições e sonhos em grandes realizações, independentemente da atividade. “O circo que me ensinou tudo o que sei”, disse referindo-se a longa carreira iniciada debaixo das lonas e que o transformou num empresário do entretenimento.

Durante a palestra “Universo Corretor, uma história de superação”, Casuo, que acumula uma extensa lista de atividades no currículo – foi frentista, auxiliar de chefe de cozinha, entregador de pizza, caricaturista, entre outras –, contou que o sonho de trabalhar em circo foi iniciado em São Carlos, interior paulista, na passagem do Grande Circo Popular do Brasil. Nove anos como acrobata renderam fraturas e 17 cirurgias. “Mas meu corpo era meu instrumento de trabalho, e tu tinha que treinar”, disse.

De acordo com o empresário, durante uma apresentação do circo em Brasília, um olheiro do Cirque du Soleil gostou de sua performance e o convidou para uma audição. Sem muitos recursos, partiu rumo ao Rio de Janeiro para um teste que tinha cerca de 400 artistas inscritos. Aprovado, logo realizaria o sonho de compor uma das maiores companhias de entretenimento do mundo.

Único brasileiro a integrar o espetáculo Alegria do Cirque du Soleil, Casuo viajou mais de 23 países, estampou capas de jornais e revistas. Mas foi durante a passagem do grupo pelo Brasil que ele descobriu que o alto salário e o sucesso no Cirque du Soleil já não sustentavam mais seus sonhos.

“O show tem que continuar”. Partiu, então, para criar o seu próprio negócio: uma empresa de entretenimento corporativo e cultural que mistura música, performance, humor e poesia. “Criem, arrisquem. A minha tese é ser melhor todos os dias.”

Fonte: Sincor/SP