← Voltar

Cresce interesse por seguro desemprego

Imprimir
Compartilhar no Telegram

Quando a cozinheira Lindalva Silva de Melo, de 32 anos, perdeu o emprego há três meses, ela não precisou se preocupar com a dívida que tinha com uma rede de supermercados em que fazia compras todo o mês, pois o seguro em caso de desemprego no valor de R$ 4 por mês cobriu o débito de R$ 500. ?Foi vantagem para mim, pois um valor tão pequeno me ajudou muito na hora que eu mais precisava?, conta ela.

Lindalva é um dos 30 milhões de brasileiros que têm um ou mais seguros da categoria popular ou massificado, que atendem um grupo de consumidores por pequenos valores mensais. O mercado desse segmento movimenta anualmente R$ 1 bilhão, é pouco perto dos R$ 60 bilhões do mercado de seguros geral, mas é promissor e deve crescer 30% neste ano.

Os seguros populares compreendem desde aqueles de assistência hospitalar, odontológica, serviços residenciais, prestamista, acidentes, garantia estendida até o que garante a reposição de objetos de menor valor.

De acordo com o professor da Fundação Instituto de Administração (FIA) e especialista em seguros, Antonio Penteado Mendonça, os mais contratados são os de garantia estendida, o seguro prestamista e o de acidentes. ?Por ser de pequeno valor, vale a pena para o consumidor, pois ele nem sente na conta e pode ser de grande ajuda. Mas ele precisa ficar atento ao que está contratando para usá-lo em caso de necessidade. O prestamista pode ser contratado no caso de compra de um imóvel, por exemplo?, explica.

Os seguros massificados são vendidos por redes varejistas (lojas de departamento, supermercados, lojas especializadas) e prestadoras de serviço, como empresas fornecedoras de energia elétrica e de telefonia. Um seguro contra furto ou perda de cartão de crédito, por exemplo, pode ser contratado a partir de R$ 0,95 ao mês.

Por R$ 3,55 ao mês, o assessor administrativo Ricardo da Trindade Oliveira, 42 anos, tem um seguro incluído na conta de energia elétrica que garante seu pagamento em caso de desemprego. Contratado em 1997, o seguro já foi usado ?Nas duas vezes que fiquei desempregado tive a conta coberta pelo seguro por quatro meses. E ainda recebi um vale alimentação. Acho que já recebi mais do que gastei?.